expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Quem sou?!

Eu sou aquilo que a vida fez
Monstro das circunstancias
E refém de meus erros
Eu sou o que vejo e o que ouço
O que falo e faço

Eu sou um anjo e um demônio
Sou a cara e a coroa
O simples e o complexo
Sou feita de carne, água, sentimento e sangue

Sou o medo e a coragem
O sonho e a desilusão
Eu sou aquilo que o mundo criou
Prisioneira do meu próprio coração
E de minha própria confusão

Sou aquela a qual o tempo traz sabedoria
Que a vida traz desilusões
E que ri com um rasgo na alma

Eu sou o canto do rouxinol
A brisa que toca tua pele
E acaricia teus cabelos

Vês? Este rastro de sangue...?
É  meu ser que geme, é meu coração que sofre e agoniza
E meu ser que grita por socorro

Não tenhas medo
Porque eu, não o tenho
A vida ensina que o tempo concerta tudo...
E nos da um rumo certo

Minha vida?
Caminho incerto de um andarilho
Sonho desinibido
Orquestra em sintonia
Botão de rosa vermelha

Eu sou ...
O mapa para o teu sorriso
E para tua agonia...
Sou um pássaro que voa em meio a tempestade.























Poema antigo, tanto que nem me lembro quando o escrevi.

Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. Este poema mostra que tua maturidade já vinha desde antes de estudares Fernando Pessoa.
    Segue cada vez melhor guria loira.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Gosto das antíteses, me fascinam em especial.
    Parabéns.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...